• Redação UPES

Pense como um Preto, pense como uma preta.

Imagem: Comunicação UPES

Consciência Negra foi ontem, é hoje, e será até o fim. O negro estava aqui ontem, está aqui hoje, e estará até o fim. O rap, o Blues e o samba, estavam aqui ontem, estão aqui hoje, e estarão aqui até o fim. O acarajé, o vatapá e a feijoada, estavam aqui ontem, estão aqui hoje, e estarão aqui até o fim. Consciência negra é reconhecer o povo preto como povo, como parte de algo, como agente fundamental para a formação da sociedade brasileira. Consciência negra é não ajudar na criminalização do corpo preto, é não somar na estrutura racista, é não espalhar cada vez mais o ódio e o preconceito racial. Consciência negra é lutar contra conceitos racistas, brincadeiras racistas, nomenclaturas racistas e toda a estrutura racista que marginaliza o povo preto cada vez mais. Consciência negra é não abaixar a cabeça e se silenciar diante dos assassinatos em massa de jovens pretos todos os dias, é não aceitar que um jovem preto seja chicoteado por seguranças de um mercado, é não aceitar 80 tiros no carro de um família preta, e é não aceitar que um indivíduo preto seja expulso de um ambiente social por ser preto. Consciência negra é deixar que o preto e a preta falem por si, que o preto e a preta lutem todos os dias sem serem chamados de ‘’loucos vitimistas’’, que o preto e a preta recuperem o seu local social, o seu local de fala. Consciência negra é valorizar o trabalho preto, a arte preta, a cultura preta, os trabalhadores pretos. Consciência negra é valorizar o médico preto, a advogada preta, o cozinheiro preto, a esportista preta, o padre preto, a professora preta, o homem preto e a mulher preta. Consciência negra é valorizar o indivíduo negro, sem duvidar de sua capacidade e de sua palavra. Consciência negra é levantar dia a dia entendendo a importância da inclusão racial, a importância de se entender a história racial e de entender que o racismo está presente, como um gás, ocupando cada lugar no espaço sem deixar que pretos e pretas respirem o ar puro da liberdade. Consciência negra é identificar o problema racismo, isolar-lo e aniquilá-lo, todos os dias. Consciência negra é o amor preto, é o amor palmares, é o amor do amar. Ame preto, ame palmares, ame amar.

Por: Sarah Pereira

Diretora de Pretos e Pretas UPES.

22 visualizações

© 2023 por União Paranaense dos Estudantes Secundaristas 

Desenvolvido por PLAY comunicação

Sede Administrativa:

Palácio dos Estudantes

Rua João Manoel, 142, 

São Francisco - Curitiba-PR